Curso de Formação Profissional em Tradução e Interpretação de Libras: Veja

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on email

Curso de Formação Profissional em Tradução e Interpretação de Libras

Faça Sua Inscrição

1ª Opção: Investimento: 750,00  a vista- Faça sua Inscrição

2ª Opção:4x 200,00 no Cartão de Crédito- Faça sua Inscrição

Professor Ministrante: Roger Prestes

Fale Conosco:

  • Eixo tecnológico: Desenvolvimento Educacional e Social
  • Pré-requisito para ingresso: Ensino Médio completo e graduando. 4- Modalidade: EAD

Carga Horária Total: 120 horas

Duração:5 Meses

Início:18 de Agosto (Quarta-Feira)

Horário: 19h às 20h30min

PERFIL DO CURSO

  A Libras é considerada a segunda língua oficial do Brasil (Lei nº 10.436 de 24/04/2002), regulamentada pelo Decreto nº 5.626 de 22/12/2005 como a língua de instrução das pessoas surdas. O reconhecimento da Libras, através das lutas dos movimentos sociais surdos, trazem como consequência o aumento da demanda de espaços bilíngues Libras/Português onde todas as pessoas envolvidas dominam ambas as línguas e de tradutores e intérpretes de Libras para os espaços e situações onde haja pessoas surdas usuárias da Libras e ouvintes que não dominam essa. A proposta do Curso Técnico subsequente em Tradução e Interpretação de Libras vem ao encontro das necessidades de formação desse profissional para a atuação nesses diferentes espaços da sociedade. Entre esses espaços e situações pode-se citar a área educacional, postos de saúde, hospitais, fóruns de justiça, delegacias, museus, teatros, eventos, palestras, cursos, bancos, entrevistas de emprego, material audiovisual, sites entre tantos outros com demanda de interpretação e tradução entre essas línguas. O     Tradutor e Intérprete de Libras teve suas atividades regulamentadas pela Lei 12.319/2010, onde sua formação a nível médio está prevista tanto em cursos de formação continu ada quanto em curso técnico. Sua atividade está descrita na Classificação Brasileira de Ocupações sob o código 2614-25. As atividades do tradutor e intérprete de Libras estão relacionadas a viabilizar as condições de acessibilidade necessária às pessoas surdas usuárias da Libras conforme previsto em legislação e normativas: Lei 10.048/2000, Lei 10.098/00, Decreto 5.296/2004, Decreto 5.626/2005, Decreto 7.611/2011, NBR 15.599/2010.

    Segundo o Censo 2010 do IBGE tem-se 1.640.000 pessoas com deficiência em Maranhão e no São Luís 256 mil Pessoas Deficiências e Pessoa Surda, e 9.717.318 pessoas surdas no Brasil.

     No Estado de Maranhão não há cursos Formação de Profissional de tradução e interpretação de Libras, apenas algumas iniciativas de cursos de formação continuada para intérpretes, alguns cursos de Pós- Graduação Lato Sensu, todos com baixa carga horária e formações parciais do que é a complexidade da atuação de um tradutor e intérprete. O grande número de surdos usuários da Libras, o baixo número de intérpretes qualificados para atuação em diferentes espaços e situações evidenciam a necessidade de uma formação consistente e contínua desse profissional. Neste contexto, a experiência adquirida pelo Podium cursos e Assessoria vem subsidiar os conhecimentos necessários para a implantação do Curso. Podium Cursos e Assessoria dá continuidade aos conhecimentos iniciados nas cidades e incorpora os mesmos ao presente curso que alinhados a experiência de atendimento a discentes surdos em diversos Campi e às pesquisas em tradução e interpretação realizadas pelos profissionais do Interprete e tradutor da Libras da cidade Porto Alegre e Cidades próximas nos fornecem elementos consistentes para a execução desse curso.

OBJETIVOS DO CURSO

  1. Formar Profissional em Tradução e Interpretação entre a Libras e o Português para atuação em diferentes espaços e situações.
  2. Capacitar tradutor-intérpretes de Libras e português, a fim de garantir a exigência do mercado de trabalho no exercício da profissão.
  3. Proporcionar conhecimentos de competências linguística e tradutória no âmbito dos Estudos da Tradução e Linguística Aplicada a Língua de Sinais.
  4. Vivenciar práticas do ato de traduzir de Libras para Português e Português para Libras.

Legislação (profissional e educacional) que embasa o curso: Lei 10.098/2000 – estabelece normas e critérios básicos para a promoção de acessibilidade; Lei 10.436/2002 – reconhece a Libras como língua oficial; Decreto 5.626 – regulamentas as Leis 10.098/00 e 10.436/02 e dispõe sobre a atuação do intérprete de Libras; Decreto 7.611/2011 – dispõe sobre o atendimento educacional especializado; Lei 12.369 – regulamenta a profissão de tradutor e intérprete de Libras e sobre sua formação; NBR 15.599 – estabelece normas e critérios de acessibilidade comunicacional na prestação de serviços; Resolução 04 de 06/06/2012 do CNE – define nova versão do Catálogo Nacional de Cursos Técn icos e inclusão do Curso Técnico em Tradução e Interpretação de Libras.

PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO

Competência Geral do Egresso

      Realizar a tradução e interpretação entre a Língua Brasileira de Sinais e a Língua Portuguesa, em coerência com sua formação, utilizando técnicas de tradução e interpretação em diferentes espaços, respeitando a ética profissional e as cultu ras surdas. O Tradutor e Intérprete de Libras poderão atuar em diferentes situações comunicativas onde haja surdos e ouvintes, conforme tenha domínio dos temas ou áreas desenvolvidos na comunicação. Interpretação simultânea ou consecutiva em palestras, eventos, sala de aula e outras situações de interação face a face. Tradução e interpretação da Libras ou para a Libras de materiais audiovisuais ou escritos (CBO 2614-25; Lei 12.319/2010; Decreto 5.626/2005).

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO

Organização curricular:

O Curso Profissional Subsequente em Tradução e Interpretação de Libras apresenta estrutura curricular fundamentada nos princípios da pedagogia para o desenvolvimento de competências. Esta fundamentação atende aos requisitos legais e pedagógicos estabelecidos pelos seguintes instrumentos: LDB nº 9.394/96, Parecer CNE/CEB nº 16/99, Resolução CNE/CEB nº 04/99, Resolução CNB/CEB nº 03/2008 e Lei 11.741/08, Lei 12.319/10 e Decreto nº 5.622/2005. O público desse curso, em sua grande maioria, não domina a Língua Brasileira de Sinais, LIBRAS. A carga horária mínima prevista no Catálogo Nacional de Cursos Técnicos não é suficiente para ensinar o idioma e formar os discentes enquanto Técnico de Tradução e Interpretação. Aliado a essa situação, tem-se que a exigência para ingressar em curso técnico subsequente é o ensino médio apenas, não cabendo a exigência de fluência em Libras para ingressar no curso. Dessa forma, à carga horária mínima de 460h, faz-se necessário acrescentar 200h para proporcionar aos discentes o aprendizado e domínio da Libras ao longo do curso. O Curso terá duração de seis meses conforme segue:

Matriz Curricular

O curso Formação de Profisisonal em Tradução e Interpretação de Libras está organizado em regime semestral por disciplinas, com uma carga- horária de componentes curriculares de 120 horas, distribuídas em 5 meses letivos. A tabela a seguir descreve a matriz curricular do curso.

Conteúdo:

Aspectos Históricos, Éticos e Profissionais do TILSP 2-Estudos da Tradução

  • Linguística Geral
  • Linguística Aplicada a Libras
  • Téc. de Produção de Vídeo em LS
  • Laboratório de Interpretação LP – LS I 7-Laboratório de Interpretação LS – LP I 8-Interpretação Educacional – Lab

Laboratório de Interpretação LP – LS II 10-Interpretação Jurídica

  • Interpretação de Conferencia (Lab)
  • Laboratório de Interpretação LS – LP II
  • Lexicologia e Terminologia aplicada a Tradução 14-Estágio em Interpretação Libras-Português
  • Laboratório de Tradução I 16 – Laboratório de Tradução
  • Lexicologia e Terminologia aplicada a Tradução 18- Tradução Literária
  • Tradução – Projeto de Tradução

 

METODOLOGIA E AVALIAÇÃO

 

Avaliação do processo ensino e aprendizagem:

 

   As avaliações acontecerão em cada unidade curricular sendo organizadas pelo professor responsável. São princípios considerados pela instituição e que devem ser adotados para a organização das avaliações: A avaliação será processual, com base em atividades teóricas e práticas desenvolvidas nos componentes curriculares. Serão considerados critérios como: Assiduidade, Realização das tarefas, Participação nas aulas, Avaliação escrita individual, Trabalhos em grupos, Colaboração e cooperação com colegas e professores. A avaliação prima pelo caráter diagnóstico e formativo, consistindo em um conjunto de ações que permitam recolher dados, visando à análise da constituição da competência do curso por parte do discente, previstas no plano de curso. Suas funções primordiais são:

  • obter evidências sobre o desenvolvimento do conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias à constituição de competências, visando a tomada de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino e aprendizagem e/ou a progressão do discente para o semestre seguinte;
  • analisar a consonância do trabalho pedagógico com as finalidades educativas previstas no Projeto Pedagógico do
  • estabelecer previamente, por unidade curricular, critérios que permitam visualizar os avanços e as dificuldades dos discentes na constituição das competências. Os critérios servirão de referência para o discente avaliar sua trajetória e para que o professor tenha indicativos que sustentem tomadas de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino e aprendizagem e a progressão dos discentes. Os registros das avaliações são feitos de acordo com a nomenclatura vigente no Regimento Didático Pedagógico Podium Cursos e Assessoria. O registro, para fins de documentos acadêmicos, será efetivado ao final de cada semestre letivo, apontando a situação do discente no que se refere à constituição de competências e utilizando-se a nomenclatura vigente no Regimento Didático Podium Cursos e A partir da avaliação efetuada pelo professor, serão realizadas avaliações coletivas em reuniões que terão o caráter de avaliação integral do processo didático – pedagógico em desenvolvimento na Unidade Curricular. As avaliações coletivas envolverão os professores e os profissionais do núcleo pedagógico.

 

      Esses encontros serão realizados, pelo menos, em dois momentos: durante o semestre e no final de cada um deles. A recuperação de estudos deverá compreender a realização de novas atividades pedagógicas no decorrer do período letivo, que possam promover a aprendizagem, tendo em vista o desenvolvimento das competências. Ao final dos estudos de recuperação o discente será submetido à avaliação, cu jo resultado será registrado pelo professor.

Critérios de aproveitamento de conhecimentos e experiências anteriores A avaliação de conhecimentos e experiências anteriores serão regidas pelos dispositivos constante no Regimento Didático Pedagógico vigente do Podium Cursos e Assessoria.

   Validação das unidades curriculares do curso Serão seguidas as diretrizes e procedimentos referentes à validação de conhecimentos e experiências anteriores constantes na Organização Didático Pedagógica do Podium Cursos e Assessoria. Dado que há previsão de ensino de Libras durante o curso, haverá a oportunidade de validação da fluência em Libras para os estudantes proficientes, que será realizada pelo professor do respectivo componente curricular, mediante solicitação formal do estudante.

Promoção/Pendência A avaliação do discente será feita em reunião de avaliação com a presença de todos os professores que trabalharem nas unidades curriculares que compõem o semestre letivo e conforme a legislação vigente, devendo o resultado ser expresso, individualmente, da seguinte forma:

O discente será considerado APTO/APROVADO na unidade curricular se:

  • Sua frequência for igual ou superior a 75% da carga horária da unidade
  • Adquirir as competências estabelecidas em todas as unidades curriculares onde obtiver o conceito necessário para aprovação. O discente será considerado NÃO APTO/REPROVADO na unidade curricular se:
  • Sua frequência for inferior a 75% da carga horária da unidade
  • Não obtiver conceito necessário para sua aprovação.

Considerações:

       O discente poderá fazer matrícula condicional no semestre seguinte e matrícula regular nas unidades curriculares pendentes, em turno oposto. Na impossibilidade de cursar as pendências em turno oposto, o mesmo deverá matricular-se somente nas unidades pendentes e ser considerado apto para depois cursar a fase seguinte. A matrícula nas unidades curriculares em pendência deverá obrigatoriamente ser realizada no semestre subsequente àquela em que o discente ficou em pendência. O discente em pendência na efetivação da matrícula deverá se adequar aos horários oferecidos pela instituição. O discente poderá cursar a pendência em turmas regulares ou especiais. Turmas especiais serão oferecidas sempre que houver necessidade.

Metodologia

 

      As Unidades Curriculares foram organizadas com base na experiência educacional bilíngue. Serão elaborados Projetos Educacionais, como eixo estruturante que perpassam as unidades curriculares do segundo ao quarto semestre. Esses projetos buscam evidenciar aos discentes a coesão do semestre e a relação do aprendizado com a atividade profissional. Os saberes de cada unidade curricular serão construídos e consolidados contin uamente, de modo a se concretizarem nas competências e habilidades esperadas do discente ao longo de sua formação. No primeiro semestre letivo os esforços se concentram no aprendizado inicial da Libras e no desenvolvimento da reflexão sobre as línguas envolvidas no ato de traduzir e interpretar. As atividades buscarão abrir o contato entre os discentes do curso e as entidades que atendem os surdos ou entidades representativas do grupo. Discentes com dificuldades de desenvolvimento na Libras serão envolvidos em atividades extracurriculares no atendimento paralelo para estimular a fluência em Libras. Não há um projeto educacional que perpassa as unidades curriculares nesse semestre, mas a sequência das atividades com aumento da complexidade da língua conduzirá as atividades didático pedagógicas. No segundo semestre letivo o projeto será a produção de uma tradução voltada a literatura ou textos de publicações correntes, juntando as técnicas de tradução e produção de vídeos e as questões relevantes das culturas surdas. O projeto educacional  reunirá as unidades curriculares em busca de soluções às atividades de interpretação. No quarto semestre, o projeto que costura as unidades curriculares será a produção de soluções de tradução e ou interpretação para a área educacional. Os Projetos Educacionais do Curso Profissional Subsequente em Tradução e Interpretação de Libras estarão pautados num fazer/saber pedagógico em que a aprendizagem é caracterizada como uma produção ativa de significados que inter-relaciona os conhecimentos de cada semestre do Curso. Trabalhos em equipe e outras metodologias também serão empregados para possibilitar a construção do conhecimento, a aquisição de novos valores e a apropriação das competências previstas pelo curso. A matriz curricular é composta por unidades de formação geral e específica, com uma estreita relação entre teoria e prática, desenvolvidas em salas de aula e laboratórios específicos.

Assine a nossa newsletter

Receba atualizações sobre concursos públicos

Mais

Uncategorized

Curso Intermediário de Libras: Veja

        No dia 14 de Agosto será iniciada mais uma  turma do Curso Intermediário de Libras- Língua Brasileira de Sinais  para pessoas

Você quer se preparar com nº1 em aprovação da Paraíba

Entre em contato